[PT] [EN]
Revitalização do Bairro da Portela de Sacavém
[PT] 5º Ano O Plano da Portela (1965), localizado na periferia norte de Lisboa, surge na sequência do crescimento demográfico e da procura de melhores condições da população vinda de áreas rurais. Propiciado por modelos criados no Movimento Moderno e por princípios da Carta de Atenas, o planeamento do bairro organiza-se segundo uma ideia funcional – habitação, trabalho, lazer e circulação. A zona funcional é separada da zona de habitação, resultando numa concentração de todos os serviços e comércio numa área central de 285x300m. O esquema de circulação é baseado numa hierarquização de vias que acabam por definir também os núcleos habitacionais. Cada núcleo habitacional é composto por um conjunto de edifícios tipificados, seguindo uma malha ortogonal e implantados sempre perpendicularmente às vias principais, sendo definidas zonas verdes e de vegetação nos espaços sobrantes. Num primeiro momento foi definido que as vias de circulação pedonal nunca cruzariam com as vias principais, sendo esse atravessamento feito por pontes. Porém as vias pedonais acabaram por ser tradicionais passeios no limite das vias, com recurso a passadeiras nos locais de cruzamento. O enunciado deste exercício desenvolvido em grupo considera uma destruição irremediável de toda a área central do bairro. Foi elaborada uma estratégia de requalificação urbana incidindo nos seguintes pontos: acessos e mobilidade; equipamentos e serviços; espaços públicos e de lazer; habitação e população. Com a apropriação de vazios existentes na periferia da Portela pretende-se aproximar as fronteiras dos bairros, desenvolvendo zonas com equipamentos públicos, tornando estes limites em espaços de atravessamento e de encontro. A ligação das várias zonas equipadas será estabelecida através da criação de corredores pedonais, equipados com espaços de pequenos serviços e comércio nos pisos térreos dos edifícios de habitação. Para além dos pisos térreos, serão também utilizados os primeiros pisos em alguns edifícios, para o uso de escritórios. Em termos viários propõe-se a reformulação da ligação Norte/Sul através da deslocação desse eixo até ao limite Oeste do novo centro. Em relação ao eixo viário Este/Oeste também contará com um novo troço na zona Oeste do bairro, que ligará à rotunda que dá acesso à A1 e à 2ª Circular. Em relação à rede de transportes que serve o bairro será tida em conta a passagem da linha de metropolitana de Lisboa pelo centro do bairro da Portela. O não preenchimento do espaço central da Portela, assumindo-se como um vazio urbano, deverá contrastar com o preenchimento e densificação das zonas adjacentes, tanto nos núcleos habitacionais como nos espaços vazios na periferia do bairro. Pretende-se oferecer a este centro a vida de uma grande praça, onde existirão pequenos equipamentos e serviços que fomentem um carácter cultural e de animação, com zonas de esplanadas, de convívio, de representações, exposições de rua, jogos ao ar livre, etc. O objetivo passa essencialmente por criar uma vivência diurna e noturna, que atraia a população.

Ultima actualização: 11/2017 | Gonçalo Filipe da Silva Velhinho

Por favor, não reproduzir sem o consentimento por escrito de Gonçalo Velhinho.