[PT] [EN]
Projeção Vídeo Mapping como ferramenta de exposição de arquitetura
[PT] 5º Ano Ao longo dos tempos o papel do arquiteto no desenvolvimento das cidades tem sido fundamental. Apesar disso sempre existiu uma certa dificuldade em compreender as suas ideias, resultando muitas vezes na desvalorização das suas ações. Uma das razões para esse facto passa pela dificuldade de comunicação entre o arquiteto e a sociedade. Essa dificuldade é criada sobretudo pela falta de compreensão do cidadão comum perante as ferramentas de representação utilizadas pelo arquiteto durante a apresentação ou explicação dos seus projetos. Para que esta situação seja ultrapassada, o arquiteto deve estar munido de instrumentos de representação que estabeleçam uma comunicação clara com o público. A tecnologia digital pode desempenhar um importante papel que facilite essa comunicação. Com a realização deste estudo pretendeu-se aferir de que modo a técnica de projeção Vídeo Mapping pode ser utilizada num contexto de exposições de arquitetura, fomentando uma comunicação mais clara com o público. Normalmente associada à projeção de animações nas fachadas de edifícios pretendeu-se explorar uma alternativa a este uso que consiste na projeção sobre maquetes com possibilidade de interação. Numa primeira fase foram realizadas projeções sobre maquetes utilizando um software profissional de Vídeo Mapping. Com este processo foram realizados testes de satisfação com utilizadores sem formação na disciplina de arquitetura, avaliando positivamente a pertinência da integração desta tecnologia num contexto de exposição de arquitetura. Esta técnica foi também apresentada na exposição “Escola de Chicago: arranha-céus digitais”, com a realização de uma projeção Vídeo Mapping sobre uma maquete de um edifício de Chicago. Numa segunda fase foi desenvolvido, em a colaboração com a ADETTI-IUL, um sistema alternativo de projeção Vídeo Mapping com recurso à Realidade Aumentada. A grande vantagem deste sistema passa pela possibilidade em associar um modelo 3D à projeção, não sendo necessário a criação de conteúdos. Para consultar o documento clique aqui

Ultima actualização: 11/2017 | Gonçalo Filipe da Silva Velhinho

Por favor, não reproduzir sem o consentimento por escrito de Gonçalo Velhinho.