[PT] [EN]
Museu Sophia M. Bryner - Lisboa
[PT] 1º Ano | 2º Semestre Neste exercício individual foi pedido um museu para a escritora portuguesa Sophia de Mello Breyner Andresen. O programa pedido contemplava um espaço expositivo, um espaço para pequenas performances, biblioteca e cafetaria. O museu situa-se na Mata de Alvalade, em Lisboa, e possui vastas áreas de sombra, uma extensa rede de caminhos pedonais, áreas dedicadas a idosos, parque infantil e um circuito de jogging. Este parque é um excelente refúgio na natureza, situado mesmo no centro da cidade. Depois de analisar a obra e biografia de Sophia de Mello Breyner, foram observados alguns aspetos que formaram a base de todo o processo de desenvolvimento do projeto. O primeiro, e talvez o mais importante, foi o facto de a natureza ter um papel importante em toda a sua obra, especialmente a natureza marinha. A cidade era vista como um espaço negativo. Para Sophia, água simboliza pureza, e foi a partir dessa palavra, pureza, que a forma exterior do edifício se baseia. Na minha interpretação, uma forma pura é uma forma simples, como um cubo ou um paralelepípedo. O mar, presente em toda a obra da escritora, foi fundamental na conceção do interior do museu. O mar representa profundidade. No mar tudo acontece para baixo. Assim, no exterior apenas observamos um edifício com uma forma simples, aparentando ser de apenas um piso, mas à medida que entramos vamos descobrindo espaços cada vez mais em baixo que não são visíveis do exterior. Cada espaço permite visualizar outros espaços, de forma a que seja possível vermos e sermos vistos de vários pontos de vista. O espaço expositivo, por exemplo, é um corredor que percorre todos os outros espaços do museu a uma cota superior.

Ultima actualização: 11/2017 | Gonçalo Filipe da Silva Velhinho

Por favor, não reproduzir sem o consentimento por escrito de Gonçalo Velhinho.